Himalaya: Listen. Learn. Grow.

4.8K Ratings
Open In App
title

Momento Sociedade - USP

Jornal da USP

1
Followers
0
Plays
Momento Sociedade - USP

Momento Sociedade - USP

Jornal da USP

1
Followers
0
Plays
OVERVIEWEPISODESYOU MAY ALSO LIKE

Details

About Us

Um podcast que fala sobre os problemas enfrentados pela sociedade e as soluções apresentadas através estudos realizados na Universidade de São Paulo, em especial da área de humanas

Latest Episodes

Momento Sociedade #55: Faltam às cidades brasileiras políticas públicas que as tornem “cidades caminháveis”

No episódio desta semana do Momento Sociedade, falaremos sobre as “cidades caminháveis”, com José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Portella compartilha que o conceito dessa abordagem urbanística vem da ideia de fazer várias atividades essenciais a pé. Os parâmetros adotados para estipular o conceito de “cidade caminhável” foram retirados de um estudo feito pelo Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP). De acordo com o estudo, há quatro parâmetros principais: os serviços essenciais, com destaque para a saúde e a educação, devem ficar a 1 km da residência da pessoa; espaços sem carro, como calçadões, praças, parques ou mesmo locais pequenos, devem estar a 100 metros da residência; já o número de quadras por km² é definido como ideal em 80 quadras por km² e, por último, o número de habitantes por área, ou seja, a densidade ponderada tem o índice ideal de 18 mil habitantes por km². Portella compartilha que há alguns exemplos de cidades brasileiras que possuem ao menos um dos parâmetros do estudo, como o caso dos municípios de Fortaleza (CE) e Recife (PE), em que 60% da população está a 1 km das escolas e postos de saúde. Para ter uma referência, 47% da população de São Paulo está próxima de escolas e postos de saúde. Se considerarmos cidades com mais de 500 mil habitantes, a região da grande Vitória (ES) tem 86% da população próxima a escolas e postos de saúde. Portella compartilha que esse tipo de conceito está entre as cidades que ocupam as melhores posições no ranking com maior qualidade de vida, segurança, mobilidade e acessibilidade e hoje não há uma preocupação para que isso se torne, de fato, uma política pública no País: “Esse tema não é tratado como política pública, com raras exceções. Eu não vejo isso em nenhuma das propostas dos candidatos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, nós temos há muito tempo calçadas muito maltratadas que causam um volume de acidentes brutal. E principalmente agora neste período, em que as pessoas procuraram evitar o transporte público, isso fica mais grave. O tratamento da via pública também não é bom, ou seja, não existe uma política pública cuidando disso ou existe de uma maneira muito solta, sem dar a importância que tem esse assunto”. Para saber mais, ouça este episódio na íntegra pelo player acima. Momento SociedadeO Momento Sociedade vai ao ar na Rádio USP todas as segundas-feiras, às 8h30 – São Paulo 93,7 MHz e Ribeirão Preto 107,9 MHz e também nos principais agregadores de podcast .

10 min20 h ago
Comments
Momento Sociedade #55: Faltam às cidades brasileiras políticas públicas que as tornem “cidades caminháveis”

Momento Sociedade #54: Propostas engessadas e ataques pessoais marcam debate de candidatos a prefeito

Na última quinta-feira (1º) aconteceu o primeiro debate televisionado dos candidatos à Prefeitura de São Paulo transmitido pela TV Band. No episódio desta semana doMomento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP comenta sobre o assunto. Comparando com o debate presidencial dos Estados Unidos, ocorrido na última terça-feira (29), Portella afirma que ambos os debates focaram principalmente no ataque e na denúncia, tirando o espaço que seria de exposição das propostas de políticas públicas. “Os debates agora tratam cada vez menos de políticas públicas para você comparar as ideias. Claro que sempre houve nos debates, mesmo antigamente, um lado que você acaba resvalando para o ataque e a denúncia, mas ele não ocupava o espaço que ocupa hoje.” Portella compartilha que, embora o debate dos Estados Unidos não seja engessado como é no Brasil, ambos levam ao mesmo resultado. N...

8 min2 w ago
Comments
Momento Sociedade #54: Propostas engessadas e ataques pessoais marcam debate de candidatos a prefeito

Momento Sociedade #53: Candidatos com propostas genéricas causam desinteresse dos eleitores nas eleições

No episódio desta semana do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), fala sobre as eleições municipais deste ano. Ele cita pesquisa recente realizada pelo Datafolha, que revela o desinteresse dos eleitores em participar das eleições, seja por conta da pandemia ou pelo embate instaurado na política nos últimos anos. Segundo o colunista, 29% dos entrevistados pelo Datafolha não sabiam ou erraram o nome do prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, o que pode revelar o desinteresse ou a desmotivação de parte da população quanto às eleições. “Há desinteresse e desmotivação. Não só o processo político, com esse embate feroz, está levando as pessoas que não gostam de se envolver a se posicionarem como neutros ou fora da discussão, tem outra questão, que é não estar despertando o interesse dos eleitores.” Para Portella, a pandemia teve forte influência nos result...

8 min3 w ago
Comments
Momento Sociedade #53: Candidatos com propostas genéricas causam desinteresse dos eleitores nas eleições

Momento Sociedade #52: Manutenção do home office deve ser pensada caso a caso

Neste episódio do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), comenta sobre o futuro do home office: esse sistema deve ser implementado definitivamente ou de forma parcial para os servidores públicos e trabalhadores do setor privado? Na opinião dele, trabalhar de casa se mostrou uma boa experiência, apesar de seu motivo – a pandemia – não ter sido positivo. Portella ressalta que o home office deve ser analisado sob a perspectiva de cada setor da economia. Muito se fala desse sistema de trabalho aplicado à área de serviços, enquanto na indústria e no agronegócio sua implantação foi mais reduzida. Esse assunto levanta polêmicas, como a eficácia da telemedicina e, por isso, “é preciso estudar caso a caso e ter um trabalho mais fundo de pesquisa para entender as consequências e então tomar as melhores decisões”, defende. O professor acredita que um sistema híbrido de trabal...

7 minSEP 22
Comments
Momento Sociedade #52: Manutenção do home office deve ser pensada caso a caso

Momento Sociedade #51: É preciso ter ousadia para realizar grandes obras públicas e modificar a vida nas cidades

No episódio do Momento Sociedade desta semana, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, fala sobre a importância da elaboração de projetos estruturantes nas grandes cidades, considerados essenciais para modificar os centros urbanos de modo a melhorar a qualidade de vida da população. Portella comenta sobre o projeto do Hidroanel Metropolitano de São Paulo, estruturado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, cujo objetivo é a construção de hidrovias nos rios Pinheiros e Tietê, represas Billings e Taiaçupeba para possibilitar o transporte de cargas e pessoas, além do uso turístico das águas. Com o projeto, cerca de 115 milhões de toneladas de lixo poderiam ser transportadas por via hídrica, o que diminuiria as viagens de caminhão, a emissão de carbono e, consequentemente, melhoraria o ar na cidade. “Com um projeto como esse [o do hidroanel], é também possível ter usinas de recic...

8 minSEP 15
Comments
Momento Sociedade #51: É preciso ter ousadia para realizar grandes obras públicas e modificar a vida nas cidades

Momento Sociedade #50: Auxílio emergencial evidencia possibilidade de erradicar extrema pobreza no País

No episódio desta semana do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, fala sobre o auxílio emergencial e as consequências para a política econômica do Brasil. Ele afirma que o auxílio abriu uma perspectiva inesperada na política econômica, porque ninguém antes da pandemia cogitaria fornecer um auxílio de R$ 600 para 70 milhões de pessoas. “Pela relevância, acredito que o auxílio emergencial deve ser de R$ 300 até dezembro deste ano, sendo, de alguma forma, estendido até março de 2021”, afirma Portella. Sobre o Renda Brasil, novo programa de renda mínima do governo federal, ele afirma não ser possível fazê-lo “do dia para a noite”. “Para fazer esse programa, inclusive nos moldes do Guedes – rejeitado pelo presidente -, é preciso mexer em leis, tem de haver uma discussão. “Como a proposta é de que o Renda Brasil seja duradouro, será preciso buscar um suce...

7 minSEP 1
Comments
Momento Sociedade #50: Auxílio emergencial evidencia possibilidade de erradicar extrema pobreza no País

Momento Sociedade #49: Teto de gastos precisa de reformulação e mais debate

Desde o início da pandemia e a consequente crise econômica gerada pela covid-19, muito se discute sobre os valores do teto de gastos. Por exemplo, devido ao contexto vivido este ano, o governo não sofrerá represálias jurídicas se estourar os valores permitidos, mas a questão sobre o ano que vem será diferente. Em meio a um debate sobre uma nova renda básica, os cuidados para desenvolver este novo programa de renda social (ou outro) esbarra justamente no teto de gastos em 2021, que já está parcialmente comprometido. “Primeiro, é importante entender sobre que teto de gastos nós estamos falando como política pública. A questão da necessidade versus a forma como foi implantado. É necessária? Sim, é necessária, mas isso não pode ser uma coisa de ou é como está ou não é. Isso é uma questão colocada de forma incorreta”, explica José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. No Momento ...

8 minAUG 25
Comments
Momento Sociedade #49: Teto de gastos precisa de reformulação e mais debate

Momento Sociedade #48: Auxílio Emergencial evidenciou desigualdade abissal do Brasil

O novo episódio do Momento Sociedade destaca o auxílio emergencial usado pela maioria dos beneficiários brasileiros principalmente para comprar alimentos. A constatação veio após pesquisa do Instituto Datafolha, feita nos dias 11 e 12 de agosto, com 2.065 pessoas. Entrevistados por telefone, 53% afirmaram usar os R$ 600 para alimentação, 25% para pagar contas, 16% para despesas domésticas e 1% para comprar itens essenciais para o combate à pandemia (álcool em gel, máscaras, etc). “Temos no Brasil uma desigualdade abissal, inaceitável. Um país rico, a 10ª maior economia do mundo. […] É um país que poderia dar uma qualidade de vida melhor para boa parte da população que está na linha da pobreza e extrema pobreza”, lamenta José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Para Portella, os dados da pesquisa Datafolha, e de outros institutos que medem, inclusive, a popularidade do presidente...

8 minAUG 18
Comments
Momento Sociedade #48: Auxílio Emergencial evidenciou desigualdade abissal do Brasil

Momento Sociedade #47: CPMF pode ser usada como mecanismo para driblar teto de gastos

Neste episódio do Momento Sociedade, o Doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, José Luiz Portella, comenta sobre a proposta de criação de um novo imposto sobre transações digitais, ou uma nova taxa nos moldes de Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), e os impactos disso. Segundo ele, é necessário levar essa discussão à população, pois “a aplicação da CPMF e a possibilidade de seu insucesso afetará sobretudo os mais pobres”. O último ano de cobrança dessa contribuição foi em 2007, com alíquota de 0,38%, e deu aos cofres do governo R$ 36,5 bilhões, com base arrecadatória de R$ 9,6 trilhões – o que correspondia ao triplo do Produto Interno Bruto (PIB) do País daquela época. Portella explica que isso “é uma base fictícia, sem correspondência real, porque não temos esse dinheiro”, e acredita que “a CPMF é um tributo populista, que causa consequências tributária...

8 minAUG 11
Comments
Momento Sociedade #47: CPMF pode ser usada como mecanismo para driblar teto de gastos

Momento Sociedade #46: Educação financeira deveria ser política pública

Neste episódio do Momento Sociedade, o Doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, José Luiz Portella, comenta sobre educação financeira em tempos de crise, como a pandemia que estamos vivendo. Para ele, a compreensão desse assunto é fundamental para todos, sobretudo para aqueles com menos recursos, incluindo pessoas jurídicas e a estruturação de seus negócios. Além do incentivo ao trabalho como forma de ganhar dinheiro e também cortar despesas, Portella indica a necessidade de saber investir e poupar o que se ganha. Ele ainda ressalta que esse conhecimento é mais eficaz quando passado pelas famílias: “Quando os pais não sabem sobre esse tema, assim como a maioria da população brasileira, as crianças não discutem isso em casa e terão mais dificuldades na administração de suas finanças. Com isso, elas podem acabar entrando em dívidas, considerando o atual funcionamento do mercado financeiro, que acaba...

9 minAUG 4
Comments
Momento Sociedade #46: Educação financeira deveria ser política pública

Latest Episodes

Momento Sociedade #55: Faltam às cidades brasileiras políticas públicas que as tornem “cidades caminháveis”

No episódio desta semana do Momento Sociedade, falaremos sobre as “cidades caminháveis”, com José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Portella compartilha que o conceito dessa abordagem urbanística vem da ideia de fazer várias atividades essenciais a pé. Os parâmetros adotados para estipular o conceito de “cidade caminhável” foram retirados de um estudo feito pelo Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP). De acordo com o estudo, há quatro parâmetros principais: os serviços essenciais, com destaque para a saúde e a educação, devem ficar a 1 km da residência da pessoa; espaços sem carro, como calçadões, praças, parques ou mesmo locais pequenos, devem estar a 100 metros da residência; já o número de quadras por km² é definido como ideal em 80 quadras por km² e, por último, o número de habitantes por área, ou seja, a densidade ponderada tem o índice ideal de 18 mil habitantes por km². Portella compartilha que há alguns exemplos de cidades brasileiras que possuem ao menos um dos parâmetros do estudo, como o caso dos municípios de Fortaleza (CE) e Recife (PE), em que 60% da população está a 1 km das escolas e postos de saúde. Para ter uma referência, 47% da população de São Paulo está próxima de escolas e postos de saúde. Se considerarmos cidades com mais de 500 mil habitantes, a região da grande Vitória (ES) tem 86% da população próxima a escolas e postos de saúde. Portella compartilha que esse tipo de conceito está entre as cidades que ocupam as melhores posições no ranking com maior qualidade de vida, segurança, mobilidade e acessibilidade e hoje não há uma preocupação para que isso se torne, de fato, uma política pública no País: “Esse tema não é tratado como política pública, com raras exceções. Eu não vejo isso em nenhuma das propostas dos candidatos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, nós temos há muito tempo calçadas muito maltratadas que causam um volume de acidentes brutal. E principalmente agora neste período, em que as pessoas procuraram evitar o transporte público, isso fica mais grave. O tratamento da via pública também não é bom, ou seja, não existe uma política pública cuidando disso ou existe de uma maneira muito solta, sem dar a importância que tem esse assunto”. Para saber mais, ouça este episódio na íntegra pelo player acima. Momento SociedadeO Momento Sociedade vai ao ar na Rádio USP todas as segundas-feiras, às 8h30 – São Paulo 93,7 MHz e Ribeirão Preto 107,9 MHz e também nos principais agregadores de podcast .

10 min20 h ago
Comments
Momento Sociedade #55: Faltam às cidades brasileiras políticas públicas que as tornem “cidades caminháveis”

Momento Sociedade #54: Propostas engessadas e ataques pessoais marcam debate de candidatos a prefeito

Na última quinta-feira (1º) aconteceu o primeiro debate televisionado dos candidatos à Prefeitura de São Paulo transmitido pela TV Band. No episódio desta semana doMomento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP comenta sobre o assunto. Comparando com o debate presidencial dos Estados Unidos, ocorrido na última terça-feira (29), Portella afirma que ambos os debates focaram principalmente no ataque e na denúncia, tirando o espaço que seria de exposição das propostas de políticas públicas. “Os debates agora tratam cada vez menos de políticas públicas para você comparar as ideias. Claro que sempre houve nos debates, mesmo antigamente, um lado que você acaba resvalando para o ataque e a denúncia, mas ele não ocupava o espaço que ocupa hoje.” Portella compartilha que, embora o debate dos Estados Unidos não seja engessado como é no Brasil, ambos levam ao mesmo resultado. N...

8 min2 w ago
Comments
Momento Sociedade #54: Propostas engessadas e ataques pessoais marcam debate de candidatos a prefeito

Momento Sociedade #53: Candidatos com propostas genéricas causam desinteresse dos eleitores nas eleições

No episódio desta semana do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), fala sobre as eleições municipais deste ano. Ele cita pesquisa recente realizada pelo Datafolha, que revela o desinteresse dos eleitores em participar das eleições, seja por conta da pandemia ou pelo embate instaurado na política nos últimos anos. Segundo o colunista, 29% dos entrevistados pelo Datafolha não sabiam ou erraram o nome do prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, o que pode revelar o desinteresse ou a desmotivação de parte da população quanto às eleições. “Há desinteresse e desmotivação. Não só o processo político, com esse embate feroz, está levando as pessoas que não gostam de se envolver a se posicionarem como neutros ou fora da discussão, tem outra questão, que é não estar despertando o interesse dos eleitores.” Para Portella, a pandemia teve forte influência nos result...

8 min3 w ago
Comments
Momento Sociedade #53: Candidatos com propostas genéricas causam desinteresse dos eleitores nas eleições

Momento Sociedade #52: Manutenção do home office deve ser pensada caso a caso

Neste episódio do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), comenta sobre o futuro do home office: esse sistema deve ser implementado definitivamente ou de forma parcial para os servidores públicos e trabalhadores do setor privado? Na opinião dele, trabalhar de casa se mostrou uma boa experiência, apesar de seu motivo – a pandemia – não ter sido positivo. Portella ressalta que o home office deve ser analisado sob a perspectiva de cada setor da economia. Muito se fala desse sistema de trabalho aplicado à área de serviços, enquanto na indústria e no agronegócio sua implantação foi mais reduzida. Esse assunto levanta polêmicas, como a eficácia da telemedicina e, por isso, “é preciso estudar caso a caso e ter um trabalho mais fundo de pesquisa para entender as consequências e então tomar as melhores decisões”, defende. O professor acredita que um sistema híbrido de trabal...

7 minSEP 22
Comments
Momento Sociedade #52: Manutenção do home office deve ser pensada caso a caso

Momento Sociedade #51: É preciso ter ousadia para realizar grandes obras públicas e modificar a vida nas cidades

No episódio do Momento Sociedade desta semana, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, fala sobre a importância da elaboração de projetos estruturantes nas grandes cidades, considerados essenciais para modificar os centros urbanos de modo a melhorar a qualidade de vida da população. Portella comenta sobre o projeto do Hidroanel Metropolitano de São Paulo, estruturado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, cujo objetivo é a construção de hidrovias nos rios Pinheiros e Tietê, represas Billings e Taiaçupeba para possibilitar o transporte de cargas e pessoas, além do uso turístico das águas. Com o projeto, cerca de 115 milhões de toneladas de lixo poderiam ser transportadas por via hídrica, o que diminuiria as viagens de caminhão, a emissão de carbono e, consequentemente, melhoraria o ar na cidade. “Com um projeto como esse [o do hidroanel], é também possível ter usinas de recic...

8 minSEP 15
Comments
Momento Sociedade #51: É preciso ter ousadia para realizar grandes obras públicas e modificar a vida nas cidades

Momento Sociedade #50: Auxílio emergencial evidencia possibilidade de erradicar extrema pobreza no País

No episódio desta semana do Momento Sociedade, José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, fala sobre o auxílio emergencial e as consequências para a política econômica do Brasil. Ele afirma que o auxílio abriu uma perspectiva inesperada na política econômica, porque ninguém antes da pandemia cogitaria fornecer um auxílio de R$ 600 para 70 milhões de pessoas. “Pela relevância, acredito que o auxílio emergencial deve ser de R$ 300 até dezembro deste ano, sendo, de alguma forma, estendido até março de 2021”, afirma Portella. Sobre o Renda Brasil, novo programa de renda mínima do governo federal, ele afirma não ser possível fazê-lo “do dia para a noite”. “Para fazer esse programa, inclusive nos moldes do Guedes – rejeitado pelo presidente -, é preciso mexer em leis, tem de haver uma discussão. “Como a proposta é de que o Renda Brasil seja duradouro, será preciso buscar um suce...

7 minSEP 1
Comments
Momento Sociedade #50: Auxílio emergencial evidencia possibilidade de erradicar extrema pobreza no País

Momento Sociedade #49: Teto de gastos precisa de reformulação e mais debate

Desde o início da pandemia e a consequente crise econômica gerada pela covid-19, muito se discute sobre os valores do teto de gastos. Por exemplo, devido ao contexto vivido este ano, o governo não sofrerá represálias jurídicas se estourar os valores permitidos, mas a questão sobre o ano que vem será diferente. Em meio a um debate sobre uma nova renda básica, os cuidados para desenvolver este novo programa de renda social (ou outro) esbarra justamente no teto de gastos em 2021, que já está parcialmente comprometido. “Primeiro, é importante entender sobre que teto de gastos nós estamos falando como política pública. A questão da necessidade versus a forma como foi implantado. É necessária? Sim, é necessária, mas isso não pode ser uma coisa de ou é como está ou não é. Isso é uma questão colocada de forma incorreta”, explica José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. No Momento ...

8 minAUG 25
Comments
Momento Sociedade #49: Teto de gastos precisa de reformulação e mais debate

Momento Sociedade #48: Auxílio Emergencial evidenciou desigualdade abissal do Brasil

O novo episódio do Momento Sociedade destaca o auxílio emergencial usado pela maioria dos beneficiários brasileiros principalmente para comprar alimentos. A constatação veio após pesquisa do Instituto Datafolha, feita nos dias 11 e 12 de agosto, com 2.065 pessoas. Entrevistados por telefone, 53% afirmaram usar os R$ 600 para alimentação, 25% para pagar contas, 16% para despesas domésticas e 1% para comprar itens essenciais para o combate à pandemia (álcool em gel, máscaras, etc). “Temos no Brasil uma desigualdade abissal, inaceitável. Um país rico, a 10ª maior economia do mundo. […] É um país que poderia dar uma qualidade de vida melhor para boa parte da população que está na linha da pobreza e extrema pobreza”, lamenta José Luiz Portella, doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Para Portella, os dados da pesquisa Datafolha, e de outros institutos que medem, inclusive, a popularidade do presidente...

8 minAUG 18
Comments
Momento Sociedade #48: Auxílio Emergencial evidenciou desigualdade abissal do Brasil

Momento Sociedade #47: CPMF pode ser usada como mecanismo para driblar teto de gastos

Neste episódio do Momento Sociedade, o Doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, José Luiz Portella, comenta sobre a proposta de criação de um novo imposto sobre transações digitais, ou uma nova taxa nos moldes de Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), e os impactos disso. Segundo ele, é necessário levar essa discussão à população, pois “a aplicação da CPMF e a possibilidade de seu insucesso afetará sobretudo os mais pobres”. O último ano de cobrança dessa contribuição foi em 2007, com alíquota de 0,38%, e deu aos cofres do governo R$ 36,5 bilhões, com base arrecadatória de R$ 9,6 trilhões – o que correspondia ao triplo do Produto Interno Bruto (PIB) do País daquela época. Portella explica que isso “é uma base fictícia, sem correspondência real, porque não temos esse dinheiro”, e acredita que “a CPMF é um tributo populista, que causa consequências tributária...

8 minAUG 11
Comments
Momento Sociedade #47: CPMF pode ser usada como mecanismo para driblar teto de gastos

Momento Sociedade #46: Educação financeira deveria ser política pública

Neste episódio do Momento Sociedade, o Doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, José Luiz Portella, comenta sobre educação financeira em tempos de crise, como a pandemia que estamos vivendo. Para ele, a compreensão desse assunto é fundamental para todos, sobretudo para aqueles com menos recursos, incluindo pessoas jurídicas e a estruturação de seus negócios. Além do incentivo ao trabalho como forma de ganhar dinheiro e também cortar despesas, Portella indica a necessidade de saber investir e poupar o que se ganha. Ele ainda ressalta que esse conhecimento é mais eficaz quando passado pelas famílias: “Quando os pais não sabem sobre esse tema, assim como a maioria da população brasileira, as crianças não discutem isso em casa e terão mais dificuldades na administração de suas finanças. Com isso, elas podem acabar entrando em dívidas, considerando o atual funcionamento do mercado financeiro, que acaba...

9 minAUG 4
Comments
Momento Sociedade #46: Educação financeira deveria ser política pública
success toast
Welcome to Himalaya LearningDozens of podcourses featuring over 100 experts are waiting for you.